DDGil - Empresa de Deditização, Desentupimento e Transporte de Resíduos

||Blog

Morcegos podem transmitir doenças letais
28/11/2018 / adminddgil

Raiva e histoplasmose são as principais doenças transmitidas pelos mamíferos voadores

Eles não vão sugar seu sangue, pode ter certeza, mas é bom manter uma certa distância destes mamíferos. Os morcegos são inofensivos para os humanos, no entanto, são os principais transmissores de raiva e histoplasmose, uma infecção que acomete o pulmão também chamada de “doença da caverna”.

Causada por um fungo chamado Histoplasma, a doença se instala quando a pessoa inala o fungo. No pulmão, o Histoplasma causa sintomas parecidos com o da pneumonia. A doença voltou a ficar conhecida quando os garotos foram resgatados da caverna na Tailândia. Após ficarem 20 dias confinados em um ambiente com muitos morcegos, a preocupação dos médicos após o resgate foi analisar se os jovens estavam ou não com a doença.

A histoplasmose afeta principalmente pessoas que estão com a imunidade baixa ou com poucos nutrientes no organismo, como era o caso dos meninos. No entanto, vale lembrar que a doença não está restrita a ambientes como cavernas – no Brasil, já houve registros de casos tanto de pessoas que viajaram para locais propícios a proliferação do fungo quanto quem frequentou casarões velhos ou abandonados, ambientes que costumam estar infestados de morcegos.

Na maioria dos casos, a doença é assintomática, com pacientes apresentando febre e muita tosse. No entanto, dependendo do tempo de exposição ao fungo, a histoplasmose pode evoluir para algo mais grave como insuficiência respiratória e até levar à morte.

Raiva
Mais letal, a raiva é uma doença transmitida do animal para o homem, causada por um vírus. Apesar da vacina (que deve ser administrada de forma urgente no paciente), anualmente morrem por causa da doença mais de 70 mil pessoas no mundo. Além dos morcegos, o vírus é transmitido por mordidas ou arranhões de animais infectados como furões, raposas, gambás, gatos, macacos e cachorros.

Dados do Ministério da Saúde apontam que no Brasil, durante 1990 e 2009, foram registrados mais de 570 casos de raiva humana. A principal espécie transmissora da doença sempre foi o cão, no entanto, a partir de 2004, este número mudou, sendo o morcego o transmissor número um.

Vale lembrar que não existe transmissão entre seres humanos e que o animal infectado também adoece e falece. Assim como no caso de capivaras – hospedeiras do carrapato-estrela, transmissor da febre amarela -, os morcegos não devem ser assassinados de forma desmedida como forma preventiva.

O caminho mais seguro e confiável para o controle de pragas e doenças é contratar um prestador de serviço que afaste os mamíferos dos ambientes, com produtos legalizados e eficientes. Na DDGIL, o controle de pragas é feito de forma segura e assertiva; dessa forma não há preocupação com possíveis danos à saúde do morador, assim como a certeza de uma dedetização completa.  Converse com nossos especialistas pelo telefone 0800-771-4999 ou através do e-mail atendimento@ddgil.com.br.